Terceira idade: Exames para um check-up de rotina

0
79
Ter mais de 60 anos já não significa o fim da vida profissional e pessoal. Com os avanços da medicina, a “melhor idade” continua sendo muito ativa. Contudo, é essencial vigiar a saúde. 
As pessoas na terceira idade ainda têm muita vida pela frente! Aquela antiga ideia de que nesta fase as pessoas passam os dias sem fazer nada em casa já ficou para trás há muito tempo. Cada vez mais, os idosos praticam desportos, trabalham, viajam e têm uma vida social cheia de atividades, como qualquer pessoa mais jovem. No entanto, não podemos ignorar o fato de que, com o passar dos anos, o nosso organismo torna-se mais propenso a desenvolver alguns problemas de saúde, aumenta o risco de doenças crónicas e degenerativas, mas a boa notícia é que quanto mais precoce o diagnóstico, maior o sucesso no tratamento. Conhecer os exames para um check-up é essencial para a manutenção de uma boa saúde nesta faixa etária.
1. Hemograma completo
Também conhecido como “exame de sangue”, o hemograma completo possibilita o diagnóstico de anemias, infeções, doenças autoimunes e até mesmo alguns tipos de cancro, como as leucemias. Além disso, o hemograma permite o acompanhamento da evolução de um tratamento que a pessoa esteja a fazer. Também através deste estudo consegue-se verificar a quantidade e a funcionalidade das células que compõem o sangue: as hemácias (responsáveis pelo transporte de oxigénio), os leucócitos (responsáveis pelas defesas) e as plaquetas (fragmentos de células responsáveis pela coagulação).
2. Perfil lipídico
Também conhecido como lipidograma, este exame permite que o médico conheça os níveis de colesterol LDL (“mau”), colesterol HDL (“bom”), triglicéridos e colesterol total de um paciente. Com os resultados deste exame, é possível conhecer os riscos de doenças e problemas cardiovasculares, como a aterosclerose e o acidente vascular cerebral, duas causas importantes na redução da qualidade de vida e na mortalidade.
3. Glicemia em jejum
Esta avaliação pretende medir a taxa de glicose  (açúcar) no sangue, permitindo diagnosticar e tratar da melhor forma quadros de diabetes ou pré-diabetes.
4. Outros exames de sangue
Também através da análise de sangue é possível medir outros elementos que pretendem avaliar o estado da saúde. Alguns exemplos são:
  • Ureia e creatinina: revelam o funcionamento dos rins, detetando problemas como a insuficiência renal;
  • Transaminases: são enzimas que podem acusar a presença de problemas no fígado;
  • TSH: permite a deteção de disfunções na produção das hormonas da tiroide;
  • Albumina: revela a condição nutricional do paciente;
  • PSA: trata-se do antígeno prostático específico, que acusa possíveis problemas na próstata nos homens;
  • 25-hidroxi-vitamina D: indica possíveis deficiências desta vitamina, cuja carência aumenta o risco de osteoporose.
5. Densitometria óssea
Trata-se de um exame de imagem que deteta a perda de massa óssea, sendo deveras importante para a prevenção de osteoporose e a redução dos riscos de fraturas. As mulheres devem fazer este exame a partir da menopausa, e os homens a partir dos 60 anos.
6. Mamografia
Embora este exame seja indicado a partir dos 35 anos, recomenda-se fazer uma mamografia a cada dois anos nas mulheres entre os 50 e os 69 anos. Se houver um histórico desse tipo de cancro na família, o médico pode pedir este exame ainda com mais frequência.
7. Exames ginecológicos
Independentemente de terem uma vida sexual ativa ou não, é recomendável que as mulheres façam o Papanicolau e o exame de toque ginecológico anualmente até aos 70 anos. Estas avaliações permitem o diagnóstico de infeções e a deteção do cancro do colo de útero.
8. Exame da próstata
O toque retal deve ser feito anualmente por homens a partir dos 50 anos. Embora vários pacientes temam este exame, ele é muito importante para o despiste de alterações perigosas, como um cancro na próstata.
9. Colonoscopia
Consiste num exame de imagem do intestino grosso que permite o diagnóstico de lesões iniciais ou mesmo de um cancro colorretal já instalado. É aconselhável a homens e mulheres a partir dos 50 anos.
10. Eletrocardiograma
É um exame essencial para detetar a presença de problemas no coração, que estão entre as principais causas de morte na terceira idade.
11. Teste de esforço
Também chamado de teste ergométrico, consiste num exame feito durante exercícios feitos numa passadeira ou bicicleta com o intuito de verificar a capacidade cardíaca e a presença de doenças cardiovasculares. É um exame muito importante para idosos que pretendam iniciar a prática de uma atividade física.
12. Radiografia de tórax
Este exame permite a deteção de lesões indicativas de cancro de pulmão (sendo especialmente importante para pacientes fumadores) e também de pneumonia, uma doença que pode ser fatal nesta fase da vida.
Geriatra: o especialista dos idosos
Cada paciente tem um perfil e um histórico de saúde diferente, pelo que a frequência desses exames varia de pessoa para pessoa. No caso dos idosos, o médico mais recomendado para avaliar as condições de saúde e solicitar a realização destes e outros testes é o geriatra, especializado nos cuidados para a terceira idade. A partir dos 60 anos, recomenda-se fazer uma consulta anual para indivíduos saudáveis e pelo menos três para pessoas com algum tipo problema diagnosticado.

POR: Aida Borges