Seis dicas que o ajudam a combater as alergias na Primavera

0
563

A chegada dos pólenes de flores e árvores que acontece na primavera, está frequentemente associada às alergias de exterior, que podem causar um grande desconforto e provocar a conhecida rinite alérgica.

Existem, no entanto, algumas dicas que podem ajudar a quem sofre de alergia ao pólen a limitar a exposição a estes alérgenos sazonais.

As alergias de exterior são muitas vezes designadas por sazonais, uma vez que têm uma duração limitada, consoante a época do ano.

Uma alergia é uma reação de hipersensibilidade do sistema imunitário a algo que normalmente, para a maioria das pessoas, é inofensivo.

As alergias de exterior caracterizam-se por uma reação exagerada do sistema imunitário a substâncias – alérgenos – normalmente encontradas no exterior, como os pólenes de flores ou árvores, relva, arbustos e gramíneas, fungos, entre outros.

Confira as seis dicas que o podem ajudar a lidar melhor com esta altura do ano que pode ter tanto de agradável, como de limitadora:

  1. Controlar os horários das saídas

As concentrações de pólenes de ambrósia são normalmente mais altas de manhã e ao entardecer. Deste modo, planeie as atividades ao ar livre fora destes horários.

  1. Proteja as zonas de entrada dos alérgenos

Se estiver a trabalhar ao ar livre, como por exemplo num jardim, use uma máscara social ou reutilizável. A máscara permite fazer uma barreira entre o alérgeno e o local de entrada do mesmo no organismo.

  1. Mude alguns hábitos

Os grãos de pólen podem ser transportados para dentro de casa através de sapatos, roupas e cabelos. Depois de passar algum tempo ao ar livre, tire os sapatos, tome um banho rápido e troque de roupa, quando chega a casa. Assim, está a remover possíveis pólenes que podem vir a causar crises de rinite alérgica – aumento das secreções nasais provocando muito desconforto.

  1. Deixe o ar circular

Quando conduz, mantenha as janelas abertas e coloque o ar condicionado em “circulação”. Em casa, mantenha as janelas fechadas e use ar condicionado. No entanto, deve verificar e trocar os filtros com frequência.

  1. Evite algumas árvores no seu jardim

Qual o tipo de árvores que deve plantar no seu jardim ou na propriedade à volta de sua casa? Evite árvores de folha caduca que podem agravar as alergias como bétula, carvalho, olmo, bordo, freixo, amieiro e avelã. Uma boa alternativa é escolher árvores de espécies como catalpa, murta, abeto ou sequóia.

  1. Escolha as plantas certas para o seu jardim:

Alguns tipos de gramíneas produzem mais grãos de pólen como as plantas Phleum pratense, Sorghum halepense, Cynodon dactylon, Dactylis glomerata, Lolium perenne, Poa pratensis e Anthoxanthum odoratum. Deve evitar este tipo de plantas no seu jardim para se proteger das alergias de exterior.  Uma alternativa a estas plantas é, por exemplo, a capim-buffel do género feminino, uma vez que não floresce e, por isso, produz poucos ou nenhuns pólenes.

Os sintomas mais comuns para as alergias de exterior são o corrimento nasal; olhos lacrimejantes e com comichão; espirros; prurido (comichão) e congestão nasal.

Em caso de dúvida pode fazer um teste às suas alergias, como um teste de sensibilidade cutânea, junto de um alergologista, para avaliar a origem dos seus sintomas alérgicos.

Para além destes conselhos que o podem ajudar a melhorar o seu dia a dia, o alívio de sintomas de rinite alérgica, durante 24 horas, pode também ser feito através da toma diária de um anti-histamínico sem efeito sedativo.

Para mais informações consulte: https://www.claritine.pt/sobre-as-alergias/alergias-exterior