SALPICOS DE VERÃO COM O CORPO EM MOVIMENTO

0
293

Somos mais felizes em movimento

O período das férias é ótimo para aproveitarmos a família e o ar livre. Podemos
explorar o nosso corpo em movimento, no espaço, usufruindo de mais tempo.

No meio da natureza, num jardim encantado ou numa praia mágica. Com os espaços
abertos e o bom tempo, estamos numa altura do ano, em que os contextos nos
oferecem um cem número de caraterísticas e de possibilidades, que vão para
além das atividades dependentes de brinquedos.

Cada contexto oferece diversas oportunidades de brincar e com uns pózinhos de
disponibilidade e criatividade à mistura, surgem ideias diferentes que podemos
explorar como mais gostamos e deixar fluir.

Neste artigo, vou começar pela praia, onde somos mais felizes com o som do mar
e a areia a escorregar bem juntinha ao nosso corpo.

Por onde começamos então? Pela preparação!

O primeiro passo é flexibilizar a logística de ir para a praia, reduzindo os objetos
que levamos, para termos maior disponibilidade e vontade de nos conectarmos
com a família e com o meio que nos envolve.

Para nos permitirmos observar: o movimento livre do corpo, o das crianças bem como o nosso; A exploração de acordo com a vontade da criança a cada momento, respeitando e acolhendo.

A praia é um sítio único que tem todos os meios e recursos para que a criança
brinque de forma livre, que usufrua do ambiente e que se conheça de forma mais
profunda.

Ao mesmo tempo, também pode ser interessante ter presentes algumas
ideias para os momentos em que a criança nos está a transmitir através do seu
olhar, da sua expressão facial e corporal que quer a nossa interação e companhia
para brincar.

Poderemos sugerir e/ou convidá-la a experimentar algumas ideias de
atividades simples que podem por exemplo, tornar as idas à água ainda mais
divertidas. Mais adiante vou partilhar algumas sugestões de atividades!

O importante é que as crianças aprendam a desfrutar dos cabelos molhados, da
areia colada no corpo, do sabor a sal, em movimento, quer tenham 8 meses, ou 8
anos.

A verdade é que as aquisições motoras acontecem, quando exploramos o nosso corpo no espaço, no tempo e em comunicação com os outros (pares e adultos) e quanto mais exploramos, mais positivo e harmonioso vai ser o nosso desenvolvimento e consequentemente, melhor vai ser o processo de aprendizagem.

Permitir ser, permitir fluir, permitir explorar. Respeitando, não condicionando e sendo facilitadores em todo o processo.

Pensei sobre quais são as melhores brincadeiras e atividades que podemos fazer
na praia, aquelas que nos surgem de forma natural e espontânea, as que nos
ligam ao meio e promovem mais dinamismo, mais adaptação e mais gargalhadas.

O que descobri foi que as melhores brincadeiras têm uma coisa em comum: são
aquelas em que não nos centramos demasiado em brinquedos ou materiais
externos, aquelas em que utilizamos o nosso corpo em movimento, exploramos a
mesma ideia com variantes, criamos, recriamos e principalmente, divertimo-nos
enquanto brincamos e inventamos.

Ficamos progressivamente com vontade de investir mais tempo em cada atividade, em cada exploração dos objetos, usufruindo em pleno dos momentos. Sentimos mais vontade de brincar sozinhos, de brincar com os irmãos, de brincar em família ou até de convidar outra criança para brincar connosco.

Sugiro então 15 atividades de movimento, que podem ser realizadas na praia.
São atividades testadas por várias crianças, famílias e terapeutas e que poderão
proporcionar momentos de conexão familiar, assegurando por um lado, que as
crianças se divertem e por outro, que os adultos também se envolvem e
desfrutam.

Experimentem, disponibilizem-se e usufruam, aproveitando também para resgatar a vossa criança interior, que tem vontade de se expressar e que acaba por se acalmar sem ser ouvida, com os stresses, desafios e logísticas do dia a dia.

Salpicos de Água: vamos chapinhar em poças pequenas, grandes ou
médias;

Dar saltos na água e brincar com as ondas. Quando vier uma onda
pequena, podemos dar um salto como se fôssemos uma pulga ou formiga;
quando vier uma onda maior, podemos dar um salto como o canguru
saltitante e se quisermos refrescar-nos, podemos saltar como o sapo e a
água irá salpicar a nossa cara. Podemos correr ao encontro da rebentação
da onda e não deixar que ela nos toque, fugindo dela. É a brincadeira da
apanhada com as ondas do mar.

Castelos de areia: agarramos em areia molhada e deixamos que ela vá
pingando um pedacinho em cima de outro pedacinho e construímos assim
uma torre, atrás de outra, até formar um castelo. Quando a areia toca, a
água desce e a areia vai formando uma torre.

Comboio na toalha: sentamo-nos na toalha e agarramos de cada um dos
lados e vamos andando na areia. Convidamos um amigo ou irmão/pai/mãe
para fazer um comboio connosco e a brincadeira ser ainda mais divertida.

Croquetes: rebolamos na areia, para um lado e para o outro. Se nos
molharmos primeiro, a diversão aumenta porque ficamos como uns
croquetes. Depois damos um mergulho, para ficarmos fresquinhos e sem
areia.

Desenhos na areia: começamos a desenhar na areia e perguntamos se
adivinham qual é o desenho que estamos a fazer. Depois trocamos: somos
nós a adivinhar o desenho que estão a fazer.

Corridas: vamos fazer uma corrida até à água, a imitar animais saltitantes e
tornar o caminho ainda mais dinâmico.

Jogo do stop na praia: vamos a andar em direção à água e paramos,
depois continuamos e repetimos até chegarmos à água.

Fazer caminhadas na areia: fazer uma caminhada, curta ou longa, pela
beira da praia é um excelente exercício motor. Sentir a areia e a água do
mar bater nos pés.

Apanhar conchinhas e pedrinhas: vamos refrescar-nos à beira mar e
apanhar conchinhas e pedrinhas diferentes, para em casa, podermos fazer
colares, maracas ou até pinturas.

Fazer buracos na areia: vamos fazer buracos na areia e tapar algumas
partes do nosso corpo. Depois temos de fazer força para conseguirmos
destapar a parte do corpo que ficou escondida, sem ajuda.

Atirar água: vamos encher o balde de água numa poça e transferir para
outra poça.

• Colocar obstáculos na areia, com os objetos que temos e depois vamos
fazer o percurso sem tocarmos nos objetos.

• Jogo do galo: podemos desenhar na areia o jogo do galo e divertimo-nos
em família. Se conseguirmos arranjar pedrinhas e conchinhas, podemos
colocar, ao invés de desenharmos tudo.

• Uma sugestão que reforçamos muito importante é a recolha do lixo que
nós fazemos e que podemos encontrar na praia. Explicar e demonstrar à
criança, a importância de mantermos as praias limpas, as questões
ambientais associadas e o benefício que a nossa ação poderá ter.

Crianças em movimento são crianças em desenvolvimento.

Através da exploração do corpo em movimento, as crianças crescem mais felizes
e mais saudáveis.

Ao explorar ambientes, texturas e contextos diferenciados, tornam-se mais flexíveis, têm maiores possibilidades de socializar com crianças que ainda não conhecem, experimentam diversos papéis sociais, observam e imitam comportamentos, exploraram a partilha e a resolução de problemas e ficam mais disponíveis para se colocarem em situações de desafio, de superação, de aventura e que consequentemente as vão ajudar a sentir-se mais seguras e confiantes.

POR: Lúcia Garcia _ Psicomotricista & Fundadora da Salpicos

site: http://salpicos.net/     Facebook: https://www.facebook.com/salpicoscomamor/

Instagram: https://www.instagram.com/salpicos/