Redes Sociais

0
101

As redes sociais invadiram os nossos lares, substituíram a televisão tradicional e vieram para ficar. Snapchat, Tik Tok, Youtube, Instagram e provavelmente mais umas tantas que não tenho conhecimento, são a maior fonte de distração dos nossos filhos, sobrinhos, netos. Proibir o seu uso é quase impossível.

A solução passa pelo velho ditado: se não podes vencê-los, junta-te a eles! Melhor do que banir as redes sociais é ensinar as crianças a usar as mesmas de forma consciente. Criar regras inquebráveis ou um “manual de instruções” permite criar consciência sobre os perigos escondidos nas mesmas. Essa consciência quase inexistente é importante, essencial e obrigatória para a segurança dos miúdos e até mesmo de alguns graúdos no que toca ao status “online”.

Como “navegar” de forma segura nas redes sociais? Como garantir que a nossa privacidade é respeitada? Como evitar criar uma pegada digital da qual nos podemos vir a arrepender no futuro? As próximas dicas são importantes, essenciais e obrigatórias para o bom uso das redes sociais.  

Dica 1: Informar-se sobre as Redes Sociais do Momento

Lembram-se da era em que o Facebook era o grande “monstro” das redes sociais? Essa era já passou há milhares de anos luz, se considerarmos a rapidez do desenvolvimento da era digital. Neste momento, o Whatsapp, Snapchat, Instagram, Youtube, são os grandes gigantes das redes sociais. Contudo, existem mais redes, como por exemplo o Telegram. Como educadores, temos de nos manter informados sobre as redes do momento e quais as mais apelativas para as nossas crianças. Devemos estar sempre em cima do acontecimento.

Dica 2: Estabelecer um Limite de Idades para Aceder às Redes

Ao fazermos a pesquisa das redes que estão na “berra”, devemos ter o cuidado de analisar quais as restrições de idades, qual o conteúdo que por lá se apresenta e estabelecer uma lista das redes às quais as crianças podem aceder, com base nos resultados das pesquisas e nos nossos valores e princípios. Explicar-lhes quais as redes a que podem aceder e quais os conteúdos permitidos é crucial para o bom uso das mesmas.

Dica 3: Controlar as Definições de Privacidade

De quando em vez, devemos aceder às definições de privacidade e segurança nas redes e garantir que as que utilizámos na configuração inicial se mantêm, ou se as configurações existentes protegem os dados, assim como a localização. 

Dica 4: Manter o Perfil Privado

Tudo bem, cedemos à pressão de permitir que os nossos “miúdos” acedam às redes mas, podemos de alguma forma limitar o acesso ao perfil. Estabelecendo, por exemplo, o perfil privado onde só os amigos ou seguidores possam visualizar as postagens e comentários.

Dica 5: Esclarecer o Conteúdo Permitido

É da máxima importância deixarmos bem claro o que pode ser colocado nas redes e o que nunca deve ser colocado. Garantir que as mensagens são claras e que não possam ser descontextualizadas, ou de alguma forma, possam tornar-se caso de vergonha num futuro próximo. Atenção que a nossa pegada digital é praticamente inapagável. O que entra na net, para sempre ficará na net.

Dica 6: Password de Alta Segurança

1, 2, 3, 4, 5… Atenção às passwords geradas nas redes. Devemos garantir que são criadas passwords com o mínimo de segurança, por exemplo com letras maiúsculas e caracteres especiais.

Dica 7: Atenção aos Pedidos de Amizade

Regra Inquebrável: Não aceitar pedidos de pessoas que não conhecem. Esta é a melhor forma de garantirem a segurança nas redes e de que só o círculo de amigos terá acesso ao perfil. Nunca aceitar pedidos de estranhos!

Dica 8: Estabelecer Regras de Utilização

Estabelecer horários de utilização, assim como tempos máximos permitidos nas redes é outra regra inquebrável. As redes sociais causam distração e podem impactar no crescimento físico e no desenvolvimento psicológico. Estabeleçam horários e prazos e tentem cumprir ao máximo.

Dica 9: Impedir a postagem de Informação Privada 

Continuamos para a terceira regra inquebrável: nunca colocar detalhes pessoais, como endereço, ou locais visitados em tempo real. É importante estabelecer o que não deve ser colocado nas redes e porquê.

Dica 10: Manter um Diálogo Aberto sobre as Redes 

Por mais que tentemos, será impossível monitorizarmos permanentemente a atividade dos nossos miúdos nas redes sociais. Conversar sobre o tipo de pessoas que eles seguem, que tipo de “postagens” fazem, com quem trocam mensagens, é uma boa forma de, não só mostrar interesse por algo que eles fazem e conhecer os seus gostos, como também de ter uma ideia sobre o que se passa nas suas redes. 

Apesar de simples, as 10 dicas acima enumeradas permitirão descansar relativamente ao pavor das redes sociais. Proibir apenas, causa mais curiosidade e conflito familiar. O segredo? Comunicação e conhecimento, esses sim, são a base para a harmonia. 

Por: Adelaide Miranda  _Life Coach de Alta Performance

Instagram: @adelaide_miranda