Produtos em 2ª mão? 57% dos jovens portugueses diz “sim”

0
71

A reutilização de produtos é cada vez mais adotada e a procura por parte dos mais novos é crescente. 57% dos portugueses que pertencem à Geração Z (idades entre 18 e 24 anos) e aos Millennials (idades entre os 25 e os 34 anos) assume estar disponível para comprar produtos em segunda mão.

Os dados são revelados por um estudo desenvolvido pela empresa Koos Service Design para a Wallapop – uma plataforma que chegou a Portugal no início de setembro dedicada ao tema do consumo sustentável – que abrange jovens de Portugal, Espanha e Itália, os países onde a plataforma está disponível.

Segundo este estudo, para os inquiridos portugueses, a razão mais importante para fazerem compras em segunda mão está relacionada com a poupança (28,7% de todas as respostas). Este valor é mais alto do que os dados recolhidos relativamente a Espanha (17,1%) ou Itália (17,8%).

Quando se fala em compra de artigos em segunda mão, é ainda destacado um receio entre os compradores que o produto não corresponda às expectativas.

Para os portugueses, a possibilidade de o produto não corresponder ao esperado é o maior obstáculo para comprar em segunda mão (16,2% de todas as respostas).

Este é um valor semelhante ao apresentado em Itália (16,9%), mas acima de Espanha (9,5%).

O estudo revelou ainda que quando os inquiridos fazem compras em segunda mão com maior regularidade sentem-se menos inseguros e desconfiados e começam a sentir-se mais conscientes, satisfeitos, úteis e inteligentes.

Já no que diz respeito à sustentabilidade, os portugueses também assumem que gostavam de ter um papel mais ativo.

Com 42% de todas as respostas, o facto de serem mais caros é a principal razão apontada para não comprarem mais produtos sustentáveis. Um valor bastante superior quando comparado com Espanha (25%) e Itália (31%).

Para Sara Van-Deste, Head of Special Projects na Wallapop, «as plataformas de compra e venda em segunda mão, como a Wallapop, têm uma oportunidade incrível de trazer uma nova forma de consumo, graças aos novos modelos de next-gen marketplace. A nossa plataforma revolucionou o mercado de segunda mão em Espanha quando a lançámos há nove anos, e estamos muito satisfeitos por chegar agora a Portugal porque percebemos que os consumidores portugueses, em especial estas novas gerações, têm cada vez mais uma consciência ambiental e social muito desenvolvida. Com estas novas soluções, qualquer português pode ter um comportamento de consumo mais sustentável, sem comprometer a sua rentabilidade. Muito pelo contrário, no mercado de segunda mão podem encontrar produtos de alta qualidade a preços acessíveis, promovendo a sustentabilidade através de uma forma mais consciente de consumo».

O estudo teve como principal objetivo compreender as motivações, necessidades e comportamentos dos jovens entre os 18 e os 34 anos no momento da compra, especialmente em relação a sustentabilidade, compra de produtos em segunda mão e compras online ou em loja.

Os resultados mostram que o fator cultural pode influenciar o processo de compra das diferentes pessoas e aquilo que mais valorizam.

Em relação à compra em segunda mão, o estudo mostra que portugueses e espanhóis estão mais dispostos a comprar produtos de outra pessoa.