Poupar no regresso às aulas

0
165
Graduation hat on blue piggy bank with stack of coins money on wooden background, Saving money for education concept

Com a chegada do mês de setembro é hora de começar a preparar o ritual de mais um regresso às aulas. Pelo menos é este o cenário para os pais que têm crianças em idade escolar.

Entre a compra de mochila, cadernos, canetas, lápis, estojo, manuais escolares e outros materiais que as crianças necessitam, o regresso às aulas tem de ser bem gerido para não desequilibrar o orçamento familiar.

Uma preparação antecipada para este tipo de gastos previsíveis irá ajudar a tornar o início do ano letivo menos pesado para a carteira do agregado familiar. Para isso, criar uma poupança ao longo do ano ou reservar uma parcela do subsídio de férias para cobrir estes encargos pode ser uma forma de aliviar estes gastos no orçamento de setembro.

Elaborar uma lista de tudo aquilo que a criança vai precisar para o regresso às aulas, desde material escolar, a roupa ou calçado, é uma maneira eficiente de poupar, ao mesmo tempo que faz o inventário do que já tem em casa e não precisa de comprar. Existem diversos materiais que podem ser reutilizados, ajudando a economizar alguns euros. E, se for mesmo necessário comprar, pode sempre optar por produtos de marca branca, que desempenham exatamente a mesma função que os de marca.

Fique também atento às promoções que podem beneficiar a sua carteira, sejam vouchers para descontar, packs de produtos em maiores quantidades que podem ser partilhados com amigos e familiares ou descontos em encomendas online. Provavelmente será nesta fase que terá de negociar com o seu filho algumas das exigências, que naturalmente terá para esta altura do ano, e explicar-lhe a importância de poupar e de não fugir ao orçamento.

O ideal é partilhar com ele o limite de gastos que precisam de respeitar e se ele já tiver idade suficiente pedir-lhe ajuda para respeitarem o dito limite.

Outra forma de atenuar os gastos do regresso às aulas das famílias portuguesas são os manuais escolares gratuitos para os alunos do ensino público até ao 12.º ano de escolaridade. Para terem acesso basta inscreverem-se na plataforma MEGA (Manuais Escolares Gratuitos) a partir da qual vão ser atribuídos vouchers que permitem levantar os manuais escolares. Para aqueles que não estão abrangidos por esta medida do Ministério da Educação, têm sempre a opção de pedir emprestado ou comprar em segunda mão.

Importante nesta fase é pedir sempre a fatura do material escolar que comprar, isto porque pode deduzir estas despesas na próxima declaração de IRS que submeter. Pode deduzir 30% das mesmas, até um limite máximo de €800, e se o material for adquirido na escola, pode mesmo incluí-lo nas despesas de educação. Para 2020 (no IRS referente a 2019), está previsto que a percentagem de dedução suba para 40% e o limite máximo para € 1000 se as despesas de educação disserem respeito a estudantes que frequentem estabelecimentos do interior ou dos Açores e Madeira.

O momento de regressar à escola e à rotina é uma ocasião crucial para a vida das crianças e também dos pais, por isso, aproveitar esta época para ensinar como respeitar os nossos limites financeiros e fazer e gerir um orçamento é um passo importante para desenvolverem esta competência do dinheiro.

Susana Albuquerque, Coordenadora de Educação Financeira da ASFAC – Associação de Instituições de Crédito Especializado