Os produtos de origem vegetal são tão ou mais saborosos do que os de origem animal?

0
380
Os produtos de origem vegetal são tão ou mais saborosos do que os de origem animal?
Os produtos de origem vegetal são tão ou mais saborosos do que os de origem animal?

65% dos portugueses acreditam que os produtos de origem vegetal são tão ou mais saborosos do que os de origem animal

A preocupação com o consumo de alimentos de origem vegetal tem vindo a moldar as escolhas alimentares dos consumidores em todo o mundo.

Entre os mais jovens, a procura de alimentos mais amigos do ambiente tem causado profundas alterações na forma como o mercado se adapta e responde às necessidades de todos.

Com isto em mente, a Upfield, produtora líder de cremes à base de plantas, desenvolveu um estudo sobre os hábitos alimentares dos portugueses, onde inquiriu mais de 1.000 pessoas, com o objetivo de avaliar a perceção sobre produtos de origem vegetal.

Jovens mais conscientes e informados sobre dietas

Os portugueses parecem estar cada vez mais informados sobre diferentes tipos de dietas (79%), mas é entre os jovens que há uma maior atenção a outras abordagens à dieta como o vegetarianismo (86%), a dieta mediterrânea (77%) e a alimentação vegan (72%).

Este conhecimento traduz-se também numa maior predisposição para a adoção de novos estilos de alimentação. O vegetarianismo, por exemplo, é seguido maioritariamente por mulheres entre os 18 e os 24 anos de idade, e a dieta pescetariana e flexitariana são a escolha dos inquiridos entre os 25 e os 44 anos de idade. Esta parece ser uma evolução positiva, quando comparada com os dados de 2007 até 2017, onde 1,2% dos portugueses disseram não consumir carne nem peixe.

Os produtos de origem vegetal são tão ou mais saborosos do que os de origem animal?
Os produtos de origem vegetal são tão ou mais saborosos do que os de origem animal?

O consumo de produtos à base de plantas

Os dados do inquérito mostram ainda uma tendência dos portugueses para incluir produtos de origem vegetal no seu dia-a-dia, por razões de saúde (60%) e preocupações ambientais (15%).

Nos últimos meses, 69% dos inquiridos confirmaram um aumento do consumo de vegetais, 52% comem mais fruta, 28% diminuíram o consumo de produtos lácteos e 26% optam por alternativas de origem vegetal. As preocupações ambientais são o principal argumento para esta mudança para a faixa etária entre os 18 e os 34 anos.

E o sabor?

A perceção dos portugueses em relação a produtos de origem vegetal continua positiva quando falamos de sabor. Grande parte (65%) dos consumidores afirma que estes produtos são saborosos, podendo concluir que a escolha deste tipo de alimentos é um bom compromisso entre os benefícios para o ambiente e o prazer de comer.

“Estes dados mostram a preocupação crescente dos portugueses, com uma dieta saborosa, natural e sobretudo sustentável. Cuidar da saúde e do ambiente são dois atos relacionados e que envolvem também um compromisso com uma dieta de origem vegetal, um modelo que devemos priorizar para o bem da sociedade e do planeta. A nova Flora Plant é a resposta de Upfield a esta maior consciencialização da sociedade portuguesa.” Comenta:Jessica Pita, Brand Manager da Flora Plant

As marcas estão a inovar para abraçar estas novas tendências

A preocupação por uma vida mais saudável, aliada a hábitos mais sustentáveis, tem um forte impacto na decisão de comprar produtos de origem vegetal.

No entanto, o sabor e uma maior variedade de produtos disponíveis nos locais de compra são também fatores decisivos para que os consumidores portugueses optam por alternativas de origem vegetal em detrimento da carne ou do peixe.

43% dos inquiridos, sobretudo entre os 45 e os 65 anos, concordam que é fácil encontrar alternativas alimentares de origem vegetal em áreas comerciais.

Os produtos de origem vegetal são tão ou mais saborosos do que os de origem animal?
Os produtos de origem vegetal são tão ou mais saborosos do que os de origem animal?

Com isto em mente, Upfield lançou Flora Plant. A nova marca que acaba de chegar a Portugal para revolucionar as refeições de todos aqueles que têm uma dieta à base de plantas e aqueles que procuram incorporar mais ingredientes à base de plantas na sua dieta e estilo de vida.

Produzida com uma mistura de óleos de palma, girassol e canola de fontes sustentáveis, a Flora Plant ™ tem uma textura rica e cremosa e um sabor que se assemelha ao da manteiga. Esta solução 100% vegan, livre de lactose, glúten ou ingredientes geneticamente modificados, é perfeita para cozinhar ou simplesmente para espalhar no pão. Há uma versão com e sem sal para uma maior criatividade ao fazer as refeições.

O invólucro de papel ™ Flora Plant foi concebido para minimizar o impacto ambiental da embalagem; assegura que a nova Flora Plant™ está bem protegida e mantida fresca durante o período de armazenamento. E é 100% biodegradável, o que significa que o material pode naturalmente decompor-se em matéria orgânica ao longo do tempo na natureza, com a ajuda de bactérias, enzimas  ou outros microrganismos.

“Quando olhamos para a forma como a Flora Plant tem um impacto ambiental menor, medimos a pegada climática do produto. Neste, foram tidas em conta todas as atividades associadas ao ciclo de vida. A mesma quantidade de Flora Plant poupa mais de metade dos gases com efeito de estufa em comparação com a mesma categoria de produtos de origem animal. Ou seja, se uma casa de quatro pessoas mudar de manteiga de animal para Flora Plant por um ano, pode poupar 11kg de suprimentos de gases com efeito de estufa. E porque acreditamos que as boas ações podem criar mudanças reais quando adotadas por muitos, se 1.000 pessoas em Portugal mudarem para uma flora por um ano, poderíamos poupar como equivalentes de gases com efeito de estufa de 28.000 garrafas de plástico!” Jordi Fabregas, Diretora Geral da Upfield Ibéria.