Os nossos pequenos leitores do futuro

0
135

Tecnologias… entretêm miúdos e graúdos, mas com elas perdem-se os hábitos saudáveis da leitura. E esquecemo-nos que existem livros físicos tão ou mais interativos que as aplicações digitais. Como combater esta tendência e apostar na literacia dos nossos miúdos?

Oferecer ou ler um livro podem ser simples gestos, contudo tem grandes benefícios no futuro de uma criança. Na hora da escolha de um presente, o livro tem sido trocado por algo mais apelativo e tecnológico.

Desde 1967 que a 02 de Abril se celebra o Dia Internacional do Livro Infantil, em homenagem ao conhecido escritor Hans Christian Andersen, autor de variadas e fantásticas histórias para crianças.

Debruçando-nos nesta temática surgem variadas questões: Qual a importância da promoção da literatura infantil na formação dos nossos pequenos leitores? Quando devemos iniciar a leitura com as crianças? Como o devemos fazer? Questões pertinentes que nos ajudarão a reaproximar o mundo infantil aos livros, ou até quem sabe, que a leitura volte a ser um hábito.

É desde o primeiro ano de vida, que ocorre o desenvolvimento das potencialidades de uma criança que lhe dará uma maior capacidade de desenvolvimento na linguagem, na leitura e na escrita.

A partir dos 6 meses inicia-se o interesse por figuras e pelas imagens associando-as a um som. Logo é a altura propícia à introdução dos primeiros livros com ilustrações. Desde o momento em que a criança consiga manusear objetos na mão, esta deve ser estimulada ao contacto com os livros para que os explore e aprenda a ler imagens.

Reconhecendo que a aprendizagem depende de uma série de fatores (estímulo dos pais, presença de livros em casa, hábitos de leitura, atitude dos pais face à curiosidade e vontade de aprender dos filhos e às características pessoais da própria criança), o adulto deve estar sensível a esta fase de desenvolvimento, aproveitando todos os momentos de interação com a criança, sejam eles numa canção, numa história, na pintura de um desenho ou uma simples leitura, com o auxílio de um livro ao seu lado.

A escolha de um livro deve respeitar vários aspetos: idade da criança; o tipo de material do livro, pode ser cartão, esponja, pano ou plástico; a quantidade de texto e de ilustrações (simples e coloridas), para que o livro seja indicado despertando o interesse da criança através dos seus cinco sentidos.

É importante também permitir à criança a escolha do livro, pois o interesse por explorar e aprender é aguçado por se sentirem incluídas.

Para que a leitura se torne um hábito é necessário que ela faça parte da rotina familiar e que seja uma experiência agradável, para os pais e para as crianças.

Nada melhor que a criação de uma biblioteca familiar onde uma vez por semana toda a família se reúna para ler um livro. As crianças ganham hábitos por imitação, se queremos que os nossos filhos tenham hábitos de leitura então como pais precisamos de dar o exemplo. É uma oportunidade de deixarmos os tablets e telemóveis e substituí-los por livros.

Uma dica que ajuda imenso os pais a despertarem interesse das crianças nos livros, é durante a leitura fazerem perguntas e criarem adivinhas sobre o tema que estão a ler. Ou então, partir para uma encenação, recorrendo ao uso de fantoches que ilustram a história acrescentando movimento à ação.

Se pensam que o interesse pela leitura acaba quando se chega à última página, desenganem-se. É nesta altura, após a leitura, que podemos pedir às nossas crianças para, através de outros materiais, fazer um desenho, sobre a sua parte favorita da história.

Nos dias de hoje, as autarquias disponibilizam bibliotecas públicas, normalmente divididas em zona de adultos e zona de crianças onde os pais podem levar os filhos a passear e a descobrir um mundo de novas histórias. O mesmo acontece com visitas às feiras do livro, que costumam aparecer nas cidades e onde podemos adquirir livros fantásticos a preços bem mais simpáticos.

Existem por vezes, companhias de teatro infantil que recriam contos e que são muito bem acolhidas pelas crianças, assim como levar os miúdos ao jardim zoológico para verem os animais sobre os quais leram, tornando-se um bom suplemento à leitura. Tudo parece ser possível, depende da imaginação dos pais e das crianças!

Benefícios da leitura feita por nós, “graúdos”, às nossas crianças:
– Desenvolvimento da capacidade cognitiva

– Desenvolvimento da capacidade cultural

– Desenvolvimento da criatividade

– Estimula o raciocínio e a acumulação de informação

– Estimula a imaginação

– Ampliação do vocabulário

– Favorece a leitura e a escrita espontânea

 

Torne a leitura uma atividade diária, um momento prazeroso num ambiente acolhedor. Acredito que as crianças contagiadas pelas leituras entusiastas dos pais, viajando pelo mundo sem sair do lugar, beneficiarão a curto, médio e longo prazo, procurando as suas próprias leituras.

POR: Cláudia Xavier _ Enfermeira Especialista em Saúde Infantil e Pediátrica