MOTIVAÇAO FAMILIAR NA PRATICA DE UMA ALIMENTAÇAO SAUDAVEL

0
211

Os hábitos alimentares aprendidos durante a infância deter­ minam os comportamentos alimentares na idade adulta. Os pais, a família e os educadores em geral desempenham um pa­pel fundamenta l na aprendizagem do “comer saudável” por ­ que, à semelhança do que acontece noutras áreas do saber, as crianças não estão dotadas de conhecimentos para escolher os alimentos em função do seu benefício e valor nutricional, por isso criam os seus hábitos alimentares com base na observação dos adultos. Desta forma, podemos admitir que a estrutura familiar tem influência muito significativa na evolução dos hábitos alimentares das crianças. Atualmente, a obesidade in­ fantil representa um grande problema de saúde pública. Por este motivo, e uma vez que uma grande proporção de pais não tem perceção do excesso de peso dos seus filhos, é importante estabelecer-se barreiras, criar-se métodos de ensino alimentar e nutricional e atribuir-se responsabilidades aos pais, familia­res e educadores, para modificar o panorama instalado. Há pequenas atitudes a tomar no que diz respeito à educação ali­ mentar das crianças e que podem determinar os seus hábitos no futuro. Seguem se alguns conselhos: 

SEJA UM EXEMPLO PARA O SEU FILHO

Dar o exemplo é a forma mais eficaz de incutir bons hábitos no seu filho. É normal que as crianças queiram provar tudo aquilo que os adultos comem, por isso prefira alimentos de boa qualidade nutricional, como vegetais, fruta e legumes. Como é que o seu filho vai comer brócolos satisfeito, se os pais estão a comer batatas fritas? !

 REÚNA A FAMÍLIA À MESA EM TODAS AS REFEI­ÇÕES PRINCIPAIS

Faça das refeições um momento calmo, agradável e que per­mita o partilhar  das experiências do dia a dia. Desliguem  as televisões, afastem-se dos telemóveis, tablets e computadores. Permita que as crianças se concentrem na sua refeição, tornan­do-a num momento agradável do seu dia.

 BRINQUE COM OS ALIMENTOS E ENFEITE O PRATO

A forma como os alimentos estão dispostos no prato, a sua cor e o seu aspeto podem ter muita influência no desenvolvi­ mento dos gostos e preferências das crianças.

EXPLIQUE ÀS CRIANÇAS A ORIGEM  DOS ALI­MENTOS

É muito importante levar a criança às compras e fazê-la par­ticipar na escolha dos produtos mais saudáveis mas, para além disso, a criança deve entender de onde vêm os alimentos e todo o processo que sofrem até chegarem às prateleiras dos super­mercados . Leve a criança às hortas de produção local e faça-a provar, sentir e apreciar os “produtos da terra”.

 RECORDE A IMPORTÂNCIA DA ÁGUA

A alimentação saudável também inclui uma ingestão ade­ quada de água. A água deve ser a bebida de eleição das crian­ças, de forma a evitar que recorram aos sumos e refrigerantes sempre que sentem sede. É fundamental habituá-los desde cedo ao consumo regular de água.

 SEJA PERSISTENTE

As crianças precisam de mais do que uma tentativa para experimentar e conseguir gostar de n ovos alimentos. Se não conseguir que a criança coma um alimento na primeira vez, procure uma maneira diferente de o preparar ou de apresenta­lo de uma maneira mais apetecível. Nunca desista! É normal que a criança rejeite sabores e texturas que não está habituada, mas depois as suas pupilas gustativas vão se renovando e pre­parando o paladar para os novos alimentos. •