O Lobo que queria mudar de cor

0
42

Certa manhã, ao acordar, o Lobo olhou-se ao espelho e não gostou de se ver. A cor preta era monótona e triste, logo decidiu mudar de cor.

Em cada dia de semana foi variando, para escolher com qual gostava mais de se ver. Mas não foi tarefa fácil. “O que poderia ele fazer?” 

Na segunda-feira pintou-se de verde, depois da tinta secar no seu pelo macio olhou para o espelho e achou que não lhe ficava bem. Parecia um sapo grande e gordo. 

Na terça-feira achou uma bela ideia, vestir-se de vermelho, um pullover que a avó tricotou e uns collants da mesma cor. Pegou no espelho e não gostou do que viu, parecia o Pai Natal.

Então, na quarta-feira, pensou experimentar vestir-se de cor de rosa. Depois de tirar todas as rosas do jardim do seu vizinho e preparar-se, voltou a ver-se ao espelho, não tinha sido uma boa ideia, parecia uma princesa.

Na quinta-feira, pensou em azul!  Mergulhou na banheira cheia de gelo, o frio era tanto que ficou azul. A tremer de frio, olhou-se mais uma vez ao espelho e não gostou.

Na sexta-feira, pensou em cor-de-laranja! Foi, mais uma vez, ao quintal do vizinho e encheu um cesto de laranjas. Descansou e comeu todas as laranjas e colocou as cascas à volta do corpo. Seria desta vez, a cor perfeita? 

(…)

(leia artigo na integra na nossa edição 14 impressa Capa de setembro. Compre já! Ou subscreva a assinatura anual no nosso site)

POR: Cristina Ponte e Sousa_ Educadora de Infância