Lidar com os excessos das festas

0
40

Não se culpe nem perca a motivação por ceder a tentações durante o Natal e o fim de ano e abusar um pouco mais nas gorduras e nos doces. Desintoxique-se, ataque logo que possível os quilos a mais e regresse à rotina de uma alimentação saudável, onde também há espaço para alguns “pecados”. 

As mulheres que seguem algum tipo de dieta para perder peso, ou que simplesmente se preocupam em manter uma alimentação equilibrada, tendem a abrir algumas exceções na altura do Natal e fim de ano.

Os próprios nutricionistas admitem esses dois a três dias de “pecado”, desde que não seja muito exagerado e que depois se regresse à rotina alimentar. 

Uma dieta saudável não inclui a quantidade de hidratos de carbono, fritos e açúcares que normalmente se incluem na mesa de Natal ou de passagem de ano dos portugueses. Já para não falar das bebidas alcoólicas. Assim, e para que não descarrile de forma desregrada, os especialistas deixam alguns conselhos para lidar com alguns excessos próprios da época.

A primeira coisa a fazer é desintoxicar. É importante que durante os dias seguintes invista na hidratação, bebendo pelo menos 1,5 litros de água por dia, para que o corpo elimine mais facilmente as toxinas. A ingestão de legumes e frutas é altamente recomendada, bem como oleaginosas, como nozes, castanhas, avelã ou pistácio, que são ótimas fontes de gorduras insaturadas. Deverá voltar às carnes brancas e aos alimentos o mais naturais possíveis, evitando os produtos processados.

Se ficar com restos, livre-se deles. Ofereça a familiares, amigas ou vizinhas, porque será mais fácil focar-se se não der de caras com as referidas tentações. “O que os olhos não veem o coração não sente”, lá diz o velho ditado. 

Paralelamente, aposte no exercício físico. É sabido que gastar mais calorias do que aquelas que se ingerem é fundamental para um peso equilibrado e por estes dias, acredita-se, vai ter calorias para dar e vender. 

Há um conselho consensual na comunidade de nutricionistas. De nada vale mergulhar de seguida em regimes alimentares muito restritivos ou extremistas. A ausência de alguns alimentos poderá provocar problemas de saúde, como anemias, e perturbações psicológicas, como desânimo, tristeza ou mesmo depressão. O que se pretende é uma alimentação equilibrada, com alguma aposta num detox face aos excessos cometidos. O que é importante é organizar um menu realista e que consiga cumprir, caso contrário estará condenada ao fracasso. 

(…)

Artigo disponível na integra na edição impressa à venda numa banca perto de si, e na nossa loja online. Compre já! 😉