HOMENS SÃO OS QUE MAIS DESENVOLVEM GOTA

0
1097

Gota é uma artrite inflamatória que pode causar dor durante as crises, surgindo de forma abruta, causada pela cristalização do ácido úrico que se deposita nas articulações daqueles que tendem a ter um nível elevado de ácido úrico.

Mais de noventa por cento dos doentes que desenvolvem gota são homens, registando-se maior incidência entre os quarenta e os cinquenta anos, sendo que a obesidade, um estilo de via sedentária e o consumo de bebidas alcoólicas e bebidas gasosas, como a cerveja, por exemplo, são fatores de agravamento desta doença.

A manifestação da Gota é muito rara em crianças, assim como nas mulheres com menos de trinta anos. No entanto, as mulheres podem vir a sofrer de gota na menopausa, ou mais tarde, acima dos sessenta anos.

A gota úrica, mais conhecida por gota, é um distúrbio do metabolismo do ácido úrico que leva a que este se deposite em vários tecidos do organismo como, por exemplo, nas articulações e nos tendões, sob a forma de cristais de urato de sódio, o que provoca inflamação.

Estes cristais formam-se quando os líquidos orgânicos registam um aumento significativo de concentração de urato de sódio. Quando a concentração do urato de sódio é demasiado alta, a dissolução do composto diminui, ou seja, a eliminação dos cristais é dificultada, e estes depositam-se nas articulações, como acima se refere.

O aumento de concentração pode ser atribuído sobretudo à diminuição da capacidade de eliminação renal e também da eliminação intestinal, sendo que neste último caso, a capacidade de eliminação não se regista com tanta frequência. Contudo, em certos casos, podem ocorrer estes dois fatores.

Crises de gota

Existem formas agudas e crónicas, sendo que as agudas surgem como crises súbitas e autolimitadas de artrite, apresentando tumefação, rubor, dor e calor de uma articulação, enquanto que as formas crónicas resultam na deposição de agregados de cristais dentro e em torno das articulações, com progressiva destruição articular.

As crises iniciais de gota podem ser precipitadas pelo abuso de alimentos ricos em purina, especialmente quando ingeridos com álcool. As crises também podem ser precipitadas por traumatismos, por uma cirurgia, por fadiga, stress emocional ou outros distúrbios clínicos, tais como uma infeção.

Causas da Gota

A gota é causada pelo acúmulo de cristais de urato na articulação, que se formam devido ao excesso de ácido úrico no sangue.

O excesso de ácido úrico no sangue pode ser causado por ingestão inadequada de medicamentos, uso exagerado de diuréticos, e excesso de consumo de álcool. Pode ainda ser desencadeada por consumo exagerado de alimentos ricos em proteínas, como as carnes vermelhas, miúdos, frutos do mar e leguminosas, como ervilhas, feijão ou lentilhas.

Doenças como a diabetes, a hipertensão arterial não controlada e a arteriosclerose, agravam o quadro da gora. Finalmente, pessoas com histórico familiar de gota têm mais probabilidade de desenvolver esta doença.

Tratamento:

Para tratar esta doença, a que se dá o nome científico de Artrite Gotosa, recomenda-se a ingestão de medicamentos que atuam sobre o ácido úrico, diminuindo a sua concentração no organismo, o que evita o acúmulo de uratos nas articulações, assim como previne o desencadear de novas crises. Durante uma crise de gota, quando se regista uma intensa inflamação e dores na articulação, o médico costuma recomendar a toma de medicamentos anti-inflamatórios.

Por outro lado, quem sofre desta doença deve ter algum cuidado com a alimentação durante toda a vida no sentido de evitar que os sintomas se agravem, trazendo mais complicações como as deformidades das articulações e o comprometimento dos rins, por exemplo.

Tratamento das crises de gota

O tratamento da gota pode ser orientado pelo reumatologista ou pelo clínico geral, e pode variar se a pessoa está em um quadro de crise ou se é um tratamento de manutenção da doença. As recomendações para cada caso são as seguintes:

Em primeiro lugar, o médico irá prescrever medicamentos que ajudam a diminuir rapidamente a inflamação. Os principais, incluem anti-inflamatórios, que são indicados para aliviar os sintomas da artrite, logo após o início da manifestação de sintomas, devendo ser mantidos até à resolução da crise, o que dura cerca de uma semana.

Os primeiros, os corticoides, têm efeito anti-inflamatório, podendo ser ingeridos sob a forma de comprimidos ou ainda injeções. Estas serão intramusculares, mas também ser aplicadas diretamente na articulação afetada, ajudando a obter uma resposta mais rápida e efetiva.

A Colchicina é outro tipo de anti-inflamatório indicado para ajudar a aliviar a crise de gota rapidamente, sendo que seu efeito é melhor quando iniciado ainda nas primeiras horas do início da crise.

Estes medicamentos devem ser usados com cautela, conforme a indicação do médico, havendo a possibilidade de provocar efeitos colaterais como náuseas, vómitos, diarreia ou, ainda, aumentar o risco de sangramento gástrico, especialmente se usados de forma incorreta.

Controle do ácido úrico:

Passada a crise de gota, o tratamento preventivo pode ser iniciado para evitar novas crises, bem como controlar a subida da concentração dos níveis de ácido úrico no sangue. Este tipo de tratamento é indicado nos casos em que o paciente tem duas ou mais crises por ano, se tiver tofos gotosos nas articulações, doença renal crónica ou história de pedra nos rins devido ao excesso de ácido úrico.

Alguns dos medicamentos utilizados incluem o Alopurinol, o mais usado por ser altamente eficaz na redução dos níveis de ácido úrico no sangue, evitando que se acumule nas articulações. Recomendam-se também os uricosúricos, que ajudam a aumentar a eliminação do ácido úrico pela urina. Outros medicamentos mais recentes, como o Febuxostat ou o Pegloticase inibem a formação do ácido úrico e são opção de tratamento no caso de haver impossibilidade de usar os outros, por alergia ou intolerância.

Opções de tratamento caseiro:

O tratamento caseiro recomendado durante as crises de gota, que complementam o tratamento com remédio indicado pelo médico, é a aplicação de compressas de gelo na articulação afetada, duas a três vezes ao dia, de cinco a dez minutos. Para combater as crises de gota também é útil tomar chá de dente-de-leão, cereja, cavalinha ou barba de milho. Estas plantas medicinais são indicadas para baixar a concentração de ácido úrico no sangue.

Recomenda-se uma colher de chá de folhas secas de qualquer destas plantas, a que se junta água a ferver. Perder peso é recomendação essencial, através da redução do consumo de calorias, do aumento da atividade física, evitando o consumo de bebidas alcoólicas e o uso de remédios diuréticos, que tendem a aumentar a concentração de ácido úrico e a desencadear uma crise de gota.

Alimentação para Gota:

Recomenda-se evitar os alimentos ricos em proteínas, como marisco, carnes vermelhas e vísceras, uma vez que atuam no metabolismo das purinas, e tendem a aumentar a concentração de ácido úrico no sangue. Sugere-se beber bastante água, no mínimo um litro e meio por dia, assim como evitar bebidas alcoólicas, especialmente a cerveja, dando preferência ao consumo de leite e iogurtes com baixo teor de gordura.