O ganho de peso do bebé

    0
    190

    O momento de pesagem do bebé geralmente é um momento de muita preocupação para as famílias e para os profissionais que acompanham esse bebé. Mas, o que essa medida nos mostra?

    Após o nascimento, todos os bebés perdem peso nos primeiros dias de vida, sendo esperada uma perda de peso de até 10% referente ao peso de nascimento. Na primeira avaliação – geralmente entre 7-10 dias de vida – esperamos que o bebé já esteja com boa recuperação do peso de alta.

    Quando isso não ocorre, a recomendação é fazer uma boa consulta direcionada às mamadas, corrigir falhas se necessário, reavaliar essa família em breve e, a depender das dificuldades referentes à amamentação, recomendar um profissional especializado na área.

    Patologias maternas e do bebé, cirurgias mamárias, baby blues, rede de apoio familiar, uso de medicações, história prévia de amamentação, alteração orofacial do bebé – imensos são os fatores de risco para a dificuldade inicial das mamadas. O papel dos profissionais da saúde que acompanham a díade mãe-bebé é justamente identificar essas dificuldades e apresentar soluções e alternativas para cada caso.

     Quando, mesmo após toda essa abordagem completa inicial, ainda não há recuperação de peso do bebé, pode ser necessário o uso pontual de suplemento (preferencialmente com leite materno extraído) a fim de preservar a saúde do bebé e preservar a amamentação – e, pensando em preservar a amamentação, o primeiro item a ser considerado é como oferecer o suplemento para o bebé. O risco de confusão de bicos já está muito bem documentado em diversos estudos, assim é recomendado apresentar para a família as alternativas disponíveis no mercado: copo comum, seringa, colher, sonda-a-dedo, relactação.

    O limite máximo para a recuperação do peso de nascimento é de 21 dias. Com a amamentação protegida e o bebé saudável, é necessário corrigir (se ainda não o foi) o fator causal: freio lingual, alterações orofaciais do bebé, alternativas para anatomia da mama desfavorável, patologias ou medicações que estão a interferir na produção de leite, entre outros.

    Com todas as avaliações e abordagens corretas, o ganho de peso do bebé (assim como a estatura e o perímetro cefálico) deve ser acompanhado através das curvas de crescimento preconizadas pela Organização Mundial de Saúde. Cada bebé seguirá o seu padrão próprio, de acordo com o canal familiar.

    A grande maioria dos bebés seguirá em aleitamento materno exclusivo. A depender da causa identificada, alguns seguirão em aleitamento misto ainda por algum período e poucos precisarão do suplemento por períodos maiores.

    POR: Cecília de Oliveira Gomes

    Consultora Internacional em Amamentação – IBCLC

    Médica Pediatra Neonatologista – Brasil

    Amamenta Lisboa