FESTAS SUSTENTÁVEIS E DE DESPERDÍCIO  ZERO

0
642

A 1.ª MARCA PORTUGUESA 

Festas bonitas sem lixo? SIM!

Se há momento em que deixamos a nossa consciência ambiental vacilar é quando celebramos. Festas de aniversário, baby showers, casamentos, batizados, Natal… desde a decoração à comida o que não falta é loiça descartável, papel de embrulho, restos, muito lixo e desperdício. E se fosse possível fazer festas divertidas, bonitas e com consciência ambiental? Foi o que Ana Inês Palminha pensou quando criou a Palmie.

Durante seis anos recriou os mais variados temas, com tudo o que havia de direito, mas desde logo procurou sempre encontrar as melhores soluções e alternativas amigas do ambiente. Na hora de desmontar, a consciência apertava. Insatisfeita, no final de 2019, parou e redesenhou todo o conceito que tinha de festas num modelo circular, sem desperdício e muito mais sustentável.

Dos artigos de festas que já tinha cria novas decorações, as loiças são agora reutilizáveis, os balões existem apenas no logótipo da marca, e na hora de comprar novos artigos dá preferência à compra em 2.º mão, continuando a preferir dar novas utilizações e funções a objectos que já tem em casa, do dia-a-dia.

A Palmie é a Ana Inês, ou Palminha para os amigos, mas não só, resulta do conhecimento e arte de várias pessoas. Além da consciência ecológica e sustentável, há uma constante procura do dito feito à mão, por exemplo para bandeirolas ou guardanapos de pano, valorizando-se sempre o que é português, seja numa ilustração como nas melhores bolachas da cidade. Porque a noção de mudança ou o fazermos diferente, ganha mais força em comunidade. É importante reconhecermos aquilo que sabemos fazer, mas principalmente o que não sabemos, para nos rodearmos de quem o faz tão bem, e assim criamos uma rede de partilha de saberes e valores para um mundo mais sustentável e sem desperdício.

Dos dinossauros aos marinheiros e princesas, em modo picnic ou dentro de casa, tudo é possível respeitando o ambiente, porque “Tu celebras. Nós fazemos a festa. E o Planeta agradece!”.

www.palmie.pt