Etapas diferentes… necessidades diferentes com o leite adequado!

0
296

E como cresceu!

Como os papás devem saber, as crianças pequenas, entre 1 e os 3 anos de idade, são particularmente ativas e cheias de energia! Para que elas recebam todos os nutrientes de que precisam para continuar a crescer e a desenvolverem-se de forma saudável, é necessário que as pequenas porções que comem sejam ricas em nutrientes essenciais e contribuam assim para um dia alimentar mais equilibrado. De facto, a ciência tem vindo a demonstrar que a alimentação nos primeiros 1000 dias de vida, ou por outras palavras, durante a gravidez e durante os primeiros 2 anos de vida, pode ter repercussões a curto, médio e a longo prazo no crescimento e saúde dos bebés. Por isso proporcionar uma boa alimentação numa fase tão precoce parece ser muito promissor em ganho de saúde.

A Organização Mundial de saúde (OMS) recomenda o leite materno em exclusivo durante os primeiros seis meses de idade, devido à sua excelente composição e benefícios, o qual deverá ser mantido sempre que possível após a diversificação alimentar. Quando o leite materno não é possível, é fundamental uma escolha responsável de fórmulas infantis com reduzido teor proteico. A necessidade de proteína em lactentes saudáveis diminui drasticamente durante os primeiros meses de vida. Esta necessidade reflete-se na diminuição da concentração de proteínas no leite humano. Apesar do seu teor reduzido, as proteínas do leite humano apresentam uma qualidade excelente, sendo de elevado valor biológico e na quantidade certa para as exigências desta taxa de crescimento.

Depois dos 12 meses de idade o leite materno, pode igualmente continuar a ser oferecido à criança caso a mãe assim o deseje. Mas se tal não for possível, existem opções seguras e adequadas. Talvez a primeira que lhe venha à mente seja o leite de vaca. No entanto este alimento não é o mais adequado pois apresenta níveis deficientes de ferro, excesso de sódio e de gordura saturada além de grande quantidade de proteína. O elevado consumo de proteína está associado a um rápido ganho de peso até aos 24 meses de idade e a maior predisposição para obesidade futura. Por isso o leite de vaca é desaconselhado durante o primeiro ano de idade, devendo ser idealmente introduzido após os 36 meses de idade.

Nesta fase as necessidades de cálcio são muito elevadas daí que uma bebida láctea infantil (leite de crescimento) pode assegurar a suprir estas necessidades. Especialmente desenhada a pensar nas crianças de 1 aos 3 anos de idade, é uma excelente solução. Isto significa que a sua composição é ajustada às necessidades da criança pequena: contém a qualidade e quantidade proteicas que ajudarão na continuidade do crescimento; contém suplementação de ferro bem como de outros minerais, tais como o iodo, o zinco e vitaminas; a composição da gordura oferece ao bebé um equilíbrio ajustado entre gorduras saturadas, mono e polinsaturadas. Assim, o leite de crescimento constitui uma opção equilibrada e apropriada a esta fase da vida da criança.

E já está! …agora é continuar a vê-lo crescer!

Por: Helena Canário Medical Advisor Nestlé Nutrition | Nutricionista