DICAS PARA UM NATAL MAIS FOCADO NA PARENTALIDADE

0
163
Depositphotos_166253406 Abraçando mãe e filha

Neste Natal, faça diferente! 

Procure oferecer ao seu filho um presente diferente, mais focado numa parentalidade consciente e positiva e siga as oito dicas que lhe proponho. Permita-se melhorar a sua versão enquanto pai ou mãe e faça o seu pequeno sentir-se mais especial neste Natal.

Acredite em si, acredite no seu filho, acredite na vossa família! 

Seja empático com o seu filho

Permita-se entrar na realidade do seu filho e ter um olhar compreensivo acerca do seu ponto de vista, especialmente, em momentos que se mostrem desafiantes.

Ser empático com o seu pequeno, é respeitá-lo, é ver as coisas com curiosidade, sem juízo crítico e em simultâneo, promover uma comunicação e relação construtiva.

É ter a oportunidade de deixar renascer a sua criança interior e também crescer um pouco mais enquanto pessoa. 

Reconheça e valorize os pontos fortes

É importante que o seu filho passe por diversas atividades e experiências, para que ele próprio possa descobrir o que mais gosta e até os seus talentos.

No seu papel enquanto pai ou mãe, pode ajudá-lo a reconhecer que tem capacidades e pontos fortes, exemplificando com situações concretas que vão acontecendo. O passo seguinte e de bastante relevância, passará por valorizar estas mesmas capacidades e competências.

Com isto, estará a ajudar o seu filho a construir a sua identidade, autoestima e amor próprio, fazendo com que se sinta único e especial enquanto pessoa. Mostre que vê e acredita no seu talento.

Rejeite qualquer comparação

Gosto sempre de dizer que “cada criança é uma criança”, é única e singular não existindo mais nenhuma igual. Logo, por este motivo, é injusto e ingrato ser comparada com outra criança.

Cada criança desenvolve a sua personalidade e evolui ao seu próprio ritmo e no seu tempo. Sentimentos de impotência, insegurança e inferioridade podem surgir quando são feitas comparações entre o seu filho e um irmão ou um amigo, por exemplo.

Comparações sucessivas podem levar a problemas de autoestima nas crianças, com repercussões na idade adulta.

No lugar da comparação, procure educar o seu filho a identificar atitudes ou comportamentos positivos e inspiradores no outro, de forma a servirem como uma motivação ou um exemplo a seguir. 

Implemente a negociação

A negociação está presente na nossa vida e em tudo o que fazemos. É importante que também ela comece a fazer parte das suas práticas parentais e educativas.

Não dê uma ordem. Procure antes negociar, envolvendo sempre a criança no processo, para que ela sinta que participou, que partilhou as suas ideias e que também foi útil.

Negociar não é para os pais, perder o controlo da situação, ausência de poder ou desrespeito.

É sim, união, partilha, respeito e relação entre os elementos da família. Ensinar a negociação desde cedo é ainda, dotar o seu filho de uma competência de extrema relevância para fazer uso no futuro.

Procure regular as suas emoções e ajustar comportamentos

Ser mãe ou pai é uma tarefa bastante desafiante e complexa, que por vezes nos deixa desregulados emocionalmente.

É essencial irmos monitorizando as nossas emoções ou melhor, aquilo que estamos a sentir, de forma a não chegarmos a um limite. Diria que é muito importante saber identificar e nomear o que está a sentir.

Por exemplo, está a ficar bastante irritada com uma birra gigante que o seu filho está a fazer e sente que não está a conseguir gerir a situação. Então por que não, pedir ao pai, que está tranquilo, para ficar um pouco com o pequeno?!

Ou então, se está sozinha com o seu filho, porque não praticarem em conjunto um exercício de respiração?! Em simultâneo, está a trabalhar a sua alteração emocional e a ensinar o seu filho a respirar de forma correta e num momento necessário.

Dê o exemplo com as suas próprias atitudes

Enquanto pai ou mãe, é natural que pretenda transmitir ao seu filho regras, normas e valores. No entanto, é necessário que as suas próprias ações assegurem e sejam coerentes com as regras e valores que pretende transmitir ao seu filho.

Pense, não é correto e sobretudo justo, que exija algo ao seu filho, que lhe tenha mostrado que fez de forma diferente. Não se esqueça que você é um modelo na vida dele.

Aceite as suas dificuldades e “falhas”

Educar é algo que traz dúvidas, incertezas e dificuldades. É um processo pelo qual todos os pais passam, sendo algo inerente à parentalidade.

Deste modo, deve ser aceite por si como algo natural e necessário ao seu papel parental e sua evolução.

Permita-se olhar para as suas dificuldades, erros ou “falhas”, não de uma forma limitante, mas sim, como uma oportunidade de autorreflexão, conhecimento e crescimento.

Acredite mais em si e confie no seu instinto. 

 

Menos tecnologia, mais momentos de qualidade

Muitos pais me referem que por vezes a única forma que encontram para entreter os seus filhos (por exemplo, quando chegam a casa no final do dia e necessitam de fazer o jantar) é por meio da tecnologia.

As novas tecnologias são ferramentas úteis e necessárias desde que utilizadas com supervisão parental e de acordo com a idade da criança ou jovem.

Por outro lado, é muito importante promover momentos de qualidade com o seu filho, onde se fortaleçam laços afetivos e maior cumplicidade.

Envolva-o nas tarefas domésticas, façam uma receita para a família, brinquem em conjunto, escolham um livro que gostem e leiam ou conversem sobre o que gostariam de fazer no próximo fim de semana. 

POR: Tânia Daniela Carvalho _  Psicóloga Clínica

Telemóvel: (+351) 939532690

consultas@taniadanielacarvalho.pt

https://www.taniadanielacarvalho.pt/

O MEU PROPÓSITO DE VIDA, A PSICOLOGIA CLÍNICA
Sou apaixonada pela Psicologia, em especial encanta-me a psicologia na intervenção com crianças, adolescentes e jovens adultos!

Gosto de ajudar, de me conectar com cada pessoa, cada uma especial e única, descobrindo um caminho que a ajude a sentir-se especial, protegida, valorizada e segura! Procuro sempre ajudar cada pessoa a descobrir o seu potencial para ser feliz, dentro da sua família e no seu contexto de vida!

Uma ligação autêntica e segura só será possível mediante o respeito pela pessoa humana, profissionalismo, responsabilidade, sigilo e ética profissional.

Empenho-me diariamente, recorro a formação contínua e constante atualização de conhecimentos, investigação e colaboração com outros profissionais de saúde, procurando alcançar a mudança desejada e o consequente sucesso da intervenção.

Espero por vocês de braços e coração aberto quando precisarem de mim e caso faça sentido os nossos caminhos se cruzarem!