Desejamos um Natal seguro

0
337
Depositphotos_213743618 Filho em santa chapéu e pai de decoração arvore de natal com bolas isolado em branco

O ambiente é de magia, alegria, partilha e festa, estamos a iniciar a quadra natalícia

Durante esta época, existe azáfama e entusiasmo, havendo a possibilidade de ocorrerem alguns acidentes.

Para que esses acidentes não estraguem o vosso Natal, deixo algumas considerações para uma quadra segura.

Onde existem crianças, deve existir um adulto que as supervisione, que não pode estar destacado para outra tarefa, que não a supervisão das crianças, para que não exista espaço para distrações.

Parece uma consideração óbvia, e daí, os adultos assumem que alguém está a supervisionar as crianças, quando na verdade poderá não estar. Esta vigilância irá promover a segurança infantil nesta quadra natalícia que desejamos que seja segura.

No dia de Natal poderá optar por ter a lareira acesa e, se assim for, verifique se há uma ventilação eficaz e uma proteção estável na lareira, prevenindo acidentes por intoxicação e/ou por queimadura.

As decorações de Natal deverão estar fora do alcance das crianças mais pequenas, por exemplo, em lugares mais altos, pois podem confundir com doces ou brinquedos e colocar na boca, correndo o risco de existir um acidente por asfixia.

Devemos confirmar que as luzes decorativas estão em bom estado, sem fios descarnados ou em risco de sobreaquecimento e incêndio. É aconselhado desligar sempre as iluminações durante a noite e quando sair de casa.

Evitar colocar velas em zonas de circulação ou no chão, porque podem pegar fogo à roupa ou cabelo de uma pessoa que passe. Torna-se preferível apagá-las se houver crianças por perto.

Deve existir controlo dos brinquedos a que as crianças têm acesso, evitando que as mais novas brinquem com os brinquedos das mais velhas sem supervisão.

É importante confirmar a estabilidade da árvore de Natal, garantindo que esta não caia, caso uma criança lhe toque.

Os papéis, sacos de plástico e fitas de embrulho devem ser deitados fora logo após a abertura dos presentes, evitando que as crianças possam colocar na boca, e correrem o risco de asfixia.

A segurança infantil é um dever de todos, sendo que os acidentes são considerados um problema de saúde pública, uma vez que são a 4ª causa de morte mais comum na Europa. Em Portugal, cerca de 6 mil crianças e jovens morreram na sequência de um acidente. Juntos prevenimos.

 

POR: Marlene Santos _ Enfermeira Especialista em Saúde Infantil e Pediátrica _ Mestre em Enfermagem _ Conselheira de Aleitamento Materno _ Estudante da pós-graduação de Marketing Digital no IPAM