DA INFERTILIDADE À MATERNIDADE

0
216

POR: ANTÓNIO VALE QUA RESMA Ginecologista / Obstetra / Infertilidade

É conhecido que toda a mulher tem o seu desejo de maternidade muito presente. Sabe-se, mesmo através da experiência animal, que existem genes específicos para tal (os quais uma vez desativados, bloqueiam o instinto maternal).

No entanto, com a inclusão da mulher no mercado laboral, assim como a sua envolvência na carreira, quer académica, quer profissional, o tempo para a maternidade (idade da conceção) foi progressivamente aumentando.

Enquanto que em 1980, só perto de 20% das mulheres atrasavam o seu primeiro filho para depois dos 30 anos, hoje essa taxa é superior a 55%.

Este é um dos fatores que levaram a que estivéssemos hoje com uma previsão de Infertilidade dos casais perto de 15% (em Portugal, cerca de 300.000 casais são inférteis).

A ginecologia moderna apresenta soluções diversas e muito eficazes para este problema (criopreservação dos oócitos, inseminação artificial, fertilização in vitro, ou mesmo a utilização de oócitos de dadora, ente outros). Assunto este que abordarei muito em breve detalhadamente.

Dito isto, afirmarei que a Infertilidade é hoje um problema muito relevante, mas com soluções muito eficazes, que permitem transformar a ansiosa Infertilidade do casal numa qualificante MATERNIDADE.

 

Feliz dia para todas as Mães!