Bebés vs. animais de estimação

0
798
mother, baby boy and dog isolated on white background

A chegada de um bebé levanta quase sempre algumas preocupações para quem tem animais de estimação

Na verdade, trata-se de uma convivência saudável, desde que sejam tomadas algumas precauções.

É conhecida a importância do contacto das crianças com os animais. No entanto, com a chegada de um bebé a casa, os pais levantam algumas questões, e com razão.

Os especialistas defendem que esta relação entre os bebés e os animais de estimação é saudável, desde que sejam respeitadas algumas condições, de modo a garantir a segurança e o bem-estar de ambos.

Comecemos por um dos factores que aparece quase sempre no topo destes receios: a segurança. De facto, existe o receio de que o animal de estimação possa magoar e ferir o indefeso ser que chega ao seu “território”.

Daí que os pediatras aconselhem um período de adaptação muito bem vigiado pelos adultos. Os primeiros contactos devem ser feitos sempre com muita cautela, em ambientes tranquilos e confortáveis para ambos e com vozes dóceis.

Bebés e animais de estimação nunca deverão ficar sozinhos e é importante avaliar cada caso, nomeadamente a agressividade dos bichos, bem como o seu porte, pois um cão grande pode ser muito meigo mas magoar o bebé se se atirar a ele em brincadeira.

Por outro lado, ajuda se os donos continuarem a dar atenção aos seus animais, para que estes não sintam ciúmes.

Estes primeiros contactos só deverão ocorrer mediante autorização do pediatra.

Outro dos factores a ter em conta tem a ver com a higienização. Redobram-se os cuidados para que os animais estejam com banhos tomados e devidamente vacinados, evitando também as habituais lambidelas de cães e gatos, que podem ser transmissoras de doenças.

Um dos aspectos a ter também em conta é se o bebé faz reação alérgica a algum dos animais lá de casa. Estudos indicam que quanto mais precoce for o contacto com os animais, mais protegida a criança vai estar das alergias, mas é uma situação a não descurar.

Um estudo recente de uma universidade do Canadá mostrou por exemplo que os cães, não só reforçam o sistema imunológico dos bebés, diminuindo o risco de desenvolverem doenças infantis alérgicas, como também os protegem da obesidade.

Os cientistas analisaram dados de 700 bebés, sendo que 46% deles conviveram com pelo menos um animal de estimação desde a barriga da mãe (nos últimos seis meses de gestação) até os três meses após o nascimento.

Da relação entre animais e bebés já tinha sido possível concluir que é benéfica para evitar dermatites e asma, bem como combater a ansiedade.

Tomadas as medidas certas, a convivência com os animais de estimação é muito saudável para os bebés, uma vez que funcionam como estímulo para o seu desenvolvimento. E, se tudo de facto correr como o esperado, ficam amigos para a vida!