Andropausa: dicas para viver mais feliz

0
99

Este é o período da vida do homem equivalente à conhecida menopausa nas mulheres. É verdade, esta mudança hormonal toca a todos! Manifesta-se, geralmente, a partir dos 60 anos e pode ter algum impacto no bem-estar e dia a dia do homem. Tome nota de algumas medidas que podem ajudar a diminuir os “incómodos”

Ao contrário das mulheres, em que a menopausa é mais percetível pois ocorre uma mudança mais brusca dos níveis hormonais, a andropausa constitui um processo lento e prolongado no tempo, pelo que alguns homens podem nem se aperceber de que se encontram nesta fase. A partir dos 30 anos, os níveis de testosterona diminuem progressivamente, numa taxa de 1% por ano. No entanto, esta taxa varia consoante a pessoa, sendo que a andropausa poderá surgir mais precocemente devido a determinados fatores nomeadamente: doenças crónicas, obesidade, stress, tabagismo e a toma de determinados fármacos. A redução dos níveis de testosterona vem acompanhada de vários sinais e sintomas, sendo que a incidência e frequência dos mesmos varia de homem para homem, podendo alguns homens vivenciar apenas um ou dois sintomas e outros experimentar todos eles. Contudo, um estilo de vida adequado poderá ser a melhor forma para aliviar muitos dos desconfortos sentidos, sendo várias as medidas que podem adotar-se. Dizemos-lhe quais.

1 – Praticar exercício físico regularmente

Evitar o sedentarismo e dedicar, pelo menos, 30 minutos do dia a uma atividade física, poderá ajudar a melhorar o fluxo sanguíneo em todo o corpo, controlar o peso e ganhar massa muscular, contribuindo assim para um melhor bem-estar e humor.

2 – Fazer uma alimentação saudável

Manter uma dieta variada e equilibrada, cortando nas gorduras e no sal e reforçando o consumo de alimentos ricos em cálcio pode ajudar bastante a diminuir os sintomas incómodos. Para reduzir os suores e ondas de calor, a par do uso de roupa leve e fresca, experimente diminuir a ingestão de café, álcool e comida demasiado condimentada. Ingerir muita água também traz benefícios.

3- Evitar o consumo de álcool e tabaco

Tomar bebidas alcoólicas e fumar muito estão na origem de várias complicações que podem contribuir para a ocorrência de disfunção erétil, uma complicação comum na fase da andropausa.

4 – Dormir bem

É aconselhável adotar um horário de sono regular, evitar refeições pesadas à noite e ajustar os níveis de luminosidade, ruído e temperatura no quarto. Deste modo, a sua noite será mais descansada e reparadora.

5 – Manter-se mentalmente ativo

Adotar atividades e fazer exercícios que estimulem o raciocínio e a memória (palavras cruzadas, sudoku, etc.) são ótimas dicas para estimular a memória e o raciocínio.

6 – Vigiar regularmente…

… os índices de glicemia, colesterol e a tensão arterial. Se mantiver sempre estes valores estáveis, a sua saúde beneficiará em geral.

7 – Prevenir a queda de cabelo/alopecia

Na sua farmácia poderá encontrar produtos de saúde que atuam sobre o couro cabeludo, estimulando a circulação sanguínea e, assim, a fase de crescimento ativo do cabelo. Se necessário, também existem medicamentos e tratamentos cirúrgicos para resolver este problema. Informe-se junto do seu médico ou farmacêutico.

8 – Se necessário procurar ajuda psicológica

A disfunção eréctil e diminuição da líbido poderão ser “reclamações” de alguns homens estão na fase da andropausa. Dependendo das causas e da gravidade da situação, existem diferentes tratamentos médicos para resolver o problema em questão; deste modo, não adie a procura de aconselhamento médico. A ajuda psicológica e a terapia sexual poderão ser bons complementos, sobretudo quando existe stress, ansiedade ou depressão.

9 – Sem culpas nem pressões

Encare com naturalidade esta nova fase da sua vida e desfrute em pleno tudo o que tem para viver. Tudo tem solução.

********

Sintomas mais comuns

Alterações na função sexual: 

– Diminuição do desejo sexual (líbido);

– Dificuldade em atingir ereções, ausência de ereções espontâneas ou ereções que não são tão fortes como de costume;

Alterações nos padrões de sono:

– Insónias;

– Aumento da sonolência.

Alterações físicas:

– Aumento da gordura corporal;

– Perda de força e de massa muscular;

– Diminuição dos pelos corporais e aumento de tamanho e sensibilidade do peito (zona da mama).

Alterações Psicológicas e Emocionais:

– Diminuição da motivação e autoconfiança;

– Depressão;

– Apatia;

– Dificuldade de concentração e problemas de memória.

Outras complicações associadas:

– Aumento do risco cardiovascular;

– Aumento do risco de desenvolver osteoporose (diminuição da densidade óssea);

– Suores e ondas de calor (semelhantes aos afrontamentos da menopausa);

– Falta de energia.

*********

Sabia que?

– 57% dos homens nunca ouviu falar sobre andropausa;

– 71% desconhecem os sinais do problema masculino análogo à menopausa;

– 20% dos homens atribuem os sintomas da queda de testosterona ao excesso de trabalho ou ao stress do dia a dia;

– 17% acreditam que as causas sejam emocionais.

Por: Aida Borges