DEPRESSÃO PÓS-PARTO

0
63

SAÚDE MENTAL NO PÓS-PARTO E A INFLUÊNCIA DO ALEITAMENTO MATERNO

“Com a chegada de um filho, inicia-se uma jornada sem volta, onde a identidade da mulher, os seus papéis e funções na família e na sociedade se modificam, exigindo também a reestruturação de toda a célula familiar”.
Colman & Colman, 1994; Relvas, 2004

Puerpério, também chamado pelas nossas avós de resguardo ou quarentena, é o nome dado à fase do pós-parto, é um período marcado pelas transformações físicas e morfológicas da mulher após as alterações sofridas durante a gravidez, contudo, a mulher/díade têm de se adaptar a um novo ser e a novos papéis sociais, criando um equilíbrio familiar e social.

Por outro lado, as alterações psicológicas e emocionais não surgem em nenhuma fase específica do pós-parto, como acontece com as alterações físicas, daí elas poderem ocorrer em qualquer altura da mudança, sendo mais desgastantes e duradoras.

Acompanhando este período temos a adaptação à Amamentação, e um novo estudo levado a cabo pela Universidade do Minho, em colaboração com a Universidade de Miami, nos Estados Unidos da América, sugere que o aleitamento materno exclusivo reduz o risco de depressão pós-parto na mãe, exercendo uma função protetora do seu bem-estar físico e psicológico durante os primeiros meses após o nascimento do bebé.

O Aleitamento Materno contribui para a regulação hormonal depois do parto, levando à libertação de hormonas como a oxitocina e a prolactina, que estão associadas à produção e à saída do leite materno, tendo um impacto positivo no estado de humor da mãe.

“O aumento dos níveis de oxitocina no cérebro leva a estados de bem-estar e está relacionada com o fortalecimento do vínculo da mãe com o bebé. É uma das hormonas que, por exemplo, está envolvida no orgasmo”. 
— Dra. Bárbara Figueiredo, Psicóloga

A depressão pós-parto surge, muitas vezes, no seguimento de problemas de sono, e estas alterações biológicas, que ocorrem na amamentação, também têm influência na regulação do sono, permitindo que a mãe adormeça mais facilmente e tenha um sono de maior qualidade, mesmo que acorde mais vezes durante a noite para dar de mamar.

Para além da fadiga e das alterações ao nível do sono e dos padrões alimentares, a mãe que está deprimida pode perder o interesse e o prazer em cuidar do bebé, ao mesmo tempo que pode adquirir sentimentos de culpabilidade, por não ser capaz de cuidar do bebé como gostaria e por não se sentir uma boa mãe. 

Outro fator relevante para o bem-estar psicológico da mulher neste período, é o reforço da sua autoestima materna, ao sentir que amamentar faz parte da sua função como mãe, sente-se mais confiante, melhorando o seu sentido de “autoeficácia”, o que afasta os estados depressivos. A amamentação contribui para o ajustamento psicológico necessário no pós-parto, exponencia o envolvimento emocional entre mãe e bebé, promovendo a interação e a vinculação de uma forma única.

De tudo isto, podemos extrair a seguintes ideias chave:

  • A amamentação protege a mãe da depressão, tendo um impacto positivo no seu bem-estar, tanto a nível biológico como psicológico;
  • Ao amamentar, a mãe liberta hormonas que contribuem para o seu estado de bem-estar e reforçam o vínculo materno;
  • Os mecanismos postos em marcha na amamentação atenuam a resposta da mãe ao stress e facilitam a regulação dos seus padrões de sono;
  • Amamentar reforça a autoestima materna, favorece a interação entre mãe e filho e reduz as dificuldades comportamentais do bebé.

Para um melhor bem-estar psicológico aconselha-se à mãe que:

  • Não exija demasiado de si;
  • Partilhe o que sente e pensa das suas experiências da maternidade;
  • Permita um tempo para cuidar de si própria, aceite ajuda;
  • Acima de tudo, dê tempo a si e ao seu bebé para se conhecerem.

Amamentar é algo que não depende somente do nosso corpo, mas a mente também tem papel importante nesse processo e vice-versa. 

Alice Araújo
Enfª Parteira e CAM

Enfermeira há 21 anos e há 17 anos que é especializada em saúde materna e obstetrícia, conselheira em aleitamento materno e instrutora de massagem para o bebé. Acredita que experiências positivas de parto, pós-parto e amamentação começam com reflexões e ações feitas desde a gestação. Ajuda os futuros papás na preparação para o parto e parentalidade, para o aleitamento materno e nas competências parentais.

Beijinhos nossos

Ligue-se a nós:

Website: www.carolinavalequaresma.com

E-mail: carolina@carolinavalequaresma.com

Facebook: https://www.facebook.com/carolina.vale.quaresma

Instagram: https://www.instagram.com/carolina.vale.quaresma