Amamentação

0
262

A IMPORTÂNCIA DA FORMA COMO NOS ALIMENTAMOS

Alimentares-te e nutrires-te bem é muito mais do que comeres os alimentos mais saudáveis do mundo.

É muito mais do que pensares no que podes e no que não podes comer.

É muito mais do que teres o teu foco apenas na comida que ingeres.

Alimentares-te e nutrires-te bem é conciliares e encontrares equilíbrio entre o que comes e o que sentes.

Se é importante escolheres alimentos saudáveis? Sim, é.

Mas não acredito que seja preciso só isso para te sentires saudável, leve e plena. Há muito mais por trás dos alimentos que estão no teu prato.

É tão, mas tão importante, sentires prazer e tranquilidade no ato de comer.

E mais ainda! Saberes e sentires que escolheste comer o que faz sentido para ti e que está alinhado com o que queres para ti a longo prazo.

Teres esta relação tranquila com a comida vai fazer toda a diferença na tua vida e no modo como te sentes, física e emocionalmente.

E sabes no que é que vai fazer muita diferença também? Na vida do teu bebé.

Eles absorvem tudo! O que sentimos, o que fazemos, o modo como lidamos com o que nos rodeia, o modo como cuidamos de nós mesmas…

Por isso, a cada momento, somos exemplos para eles. Estejamos conscientes disso ou não.

E acredita, vai ser brutal o teu bebé sentir que estás tranquila com o que comes. Isso vai dar-lhe confiança para também experimentar e comer aquilo que lhe colocas no prato. “Se a minha mãe come e está feliz, também vou fazê-lo!” ou “Vou mamar tranquilamente, porque está tudo bem”, é o que imagino que eles pensam quando é hora da refeição.

Eles sentem mesmo tudo o que sentimos. Se estamos nervosas, se estamos irritadas, se estamos felizes, se estamos agitadas.

E normalmente reagem de acordo com esses sentimentos que lhes transmitimos. Já deste conta disso?

Daí a importância de cuidares de ti, a todos os níveis (alimentar, emocional, físico, psicológico…), para estares bem. Para ti e para ele.

E quer queiras quer não, a alimentação é um dos pilares que tem mesmo muito impacto no modo como te sentes na tua vida.

Mas se neste momento sentes que não dás assim tanta importância à tua alimentação como gostarias, estás sempre a tempo de começar.

Começa passo a passo, para não serem mudanças bruscas. Pensa em qual vai ser o teu primeiro passo, depois o segundo, depois o seguinte e por aí fora. E faz acontecer!

Cuida de ti! Por completo! Beijinho. 

Mónica Petrides  Coach de Mindset & Emagrecimento 

Mãe de um pequeno de 15 meses, é licenciada em Engenharia Alimentar, mestre em Ciências Empresariais, certificada em alimentação holística, coach profissional certificada, practitioner em PNL (Programação Neurolinguística com foco no emocional) e trabalha há mais de 12 anos com processos de emagrecimento.

 

A NUTRIÇÃO DO RECÉM-NASCIDO

Amamentação: uma decisão a dois

Hoje em dia, toda a gente sabe que o aleitamento materno se trata do recurso mais saudável e natural de alimentar (nutricional, imunológica e emocionalmente) o recém-nascido, em termos de crescimento e de desenvolvimento psicomotor.

Mas a questão coloca-se: Quando devemos aprender como alimentar o nosso bebé? E aí respondemos: desde o período da gravidez.

Uma das formas para que a amamentação ocorra com sucesso, é a frequência do curso de preparação para o parto e parentalidade onde incorpora um apoio especializado de enfermagem na área de saúde materna e obstetrícia e na área de pediatria.

Estes cursos têm abordagens diferentes mas, no fundo, todos se destinam a ajudar a mulher, preferencialmente o casal, a entender o que irá suceder exatamente no momento em que surgem os sinais de trabalho de parto, as principais recomendações para cuidar do recém-nascido, ajudar a perceber o processo do aleitamento materno e ensinar algumas estratégias físicas e psíquicas para que possam intervir ativamente nas distintas fases da gravidez, parto e pós-parto. 

Algumas mamãs referem que a amamentação foi uma fase “pior” e mais “complicada” do que o parto propriamente dito. Assim sendo, o investimento de competências e conhecimento sobre a alimentação do recém-nascido inicia no período da gravidez e continua com o acompanhamento profissional especializado no pós-parto.

Outro fator importante no sucesso da alimentação do recém-nascido é o apoio fundamental do pai ao longo do decurso da gravidez. Mesmo não sendo fonte de alimentação, os parceiros têm participação fundamental nesse processo.

O pai, ao participar ativamente na gravidez e ao frequentar o curso de preparação para o parto e parentalidade, recebe informação sobre vários temas, um dos quais a alimentação infantil e de como pode contribuir para o êxito do aleitamento materno.

Poderá ainda haver preconceitos no meio social em relação à participação dos pais nos cuidados aos filhos, mas verificamos que eles são capazes de desempenhar todas as tarefas tão bem ou melhor do que muitas mulheres.

Cada pai tem a sua maneira de cuidar e nem sempre esta vai ao encontro das expectativas da mãe, mas ambos estão a fazer uma caminhada no mundo da parentalidade e um pai motivado pode tornar-se um ótimo cuidador e um elemento crucial na vida do filho e da família.

Estudos revelam que há cada vez mais pais a cuidar dos seus filhos, mesmo logo após o nascimento, isto contribui positivamente para o desenvolvimento físico, emocional, intelectual e social da criança.

A saúde das mulheres é igualmente favorecida pela partilha das tarefas de casa e no cuidar dos filhos, levando à maior disponibilidade para dar de mamar.

A saúde mental e física do pai melhora, há um aumento da autoestima, confiança, segurança e estabilidade, induzindo a uma maior probabilidade de sucesso no aleitamento materno.

Assim, conclui-se que durante o período pré-parto, o ensino sobre a participação do pai no aleitamento materno é fundamental, porque se considera muito forte a influência do pai sobre o início e a duração da amamentação (Costa, 2007)

Um ambiente familiar que promova e apoie o aleitamento materno permite superar de modo ímpar alguma dificuldade que possa surgir, alcançando o plano delineado para a alimentação do bebé.

Alice Araújo   Enfª Parteira e CAM

Enfermeira há 21 anos e há 17 anos que é especializada em saúde materna e obstetrícia, conselheira em aleitamento materno e instrutora de massagem para o bebé. Acredita que experiências positivas de parto, pós-parto e amamentação começam com reflexões e ações feitas desde a gestação. Ajuda os futuros papás na preparação para o parto e parentalidade, para o aleitamento materno e nas competências parentais.

Ligue-se a nós:

Website: www.carolinavalequaresma.com

E-mail: carolina@carolinavalequaresma.com

Facebook: https://www.facebook.com/carolina.vale.quaresma

Instagram: https://www.instagram.com/carolina.vale.quaresma