3, 2, 1… lift off! Final do CanSat Portugal prestes a deslocar em Ponte de Sor

0
32

Já estamos em contagem decrescente para a final da 9ª edição do CanSat Portugal 2022, que terá lugar de 5 a 8 de maio no Aeródromo Municipal de Ponte de Sor.

Convidamos os meios de comunicação social a assistirem presencialmente à final desta competição que desafia alunos do ensino secundário de todo o país, acompanhados pelos seus professores, a lançar os CanSats que construíram na sua escola.

Cada CanSat é um modelo funcional de um microssatélite, cujo sistema base (antena, bateria e sensores) terá de estar integrado no volume equivalente ao de uma lata de refrigerante (“can”, em inglês).

Este é um projeto educativo da Agência Espacial Europeia, organizado pelo ESERO Portugal e pela Ciência Viva, com o apoio da Agência Espacial Portuguesa.

As diferentes equipas, constituídas por 4 a 6 elementos, são desafiadas a criar um projeto espacial de pequena escala de A a Z.

Após o lançamento e durante a descida, o CanSat deve executar uma missão científica, comunicar os dados a um computador no solo e aterrar de forma segura. A missão inclui a análise dos dados recolhidos.

A equipa vencedora das 15 a concurso representará Portugal na final internacional. A edição deste ano conta com a participação de duas equipas do ensino básico, cujos projetos se destacaram no CanSat Júnior.

O júri que avaliará os projetos será composto por Ricardo Conde (presidente da Agência Espacial Portuguesa – Portugal Space), Rui Agostinho (professor auxiliar do departamento de Física da Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa e investigador do Instituto de Astrofísica e Ciências do Espaço), Eduardo Ferreira (vice-presidente da Agência Espacial Portuguesa – Portugal Space e chefe de Divisão da Manutenção da NAV), Agostinho Fonseca (professor do Instituto Superior Técnico), Duarte Cota (coordenador do Núcleo de Programação e Robótica da Escola de Novas Tecnologias dos Açores – ENTA – e vencedor, enquanto professor, da final internacional do CanSat) e Ana Noronha (diretora executiva da Ciência Viva).

Programa detalhado aqui